SOBRE

A DESALAMBRAR FILMES, criada em 2015 por Maria Tereza Urias e Renan Rovida, é uma produtora independente brasileira que trabalha com projetos artísticos inventivos e autorais. Produziu os longas-metragens PÃO E GENTE (2020) e SEM RAIZ (2017), ambos dirigidos por Renan Rovida, em parceria com o Coletivo Tela Suja Filmes. Produziu também a peça de teatro GRANIZO (2018) com direção de Renan Rovida, uma parceria com o Novo Teatro em Ruínas. É co-produtora do projeto Tela Suja Filmes: Ensaios sobre o Patriarcado, a Propriedade Privada e o Cinema,  em parceria com a Plateau Produções e o Coletivo Tela Suja Filmes. Neste projeto realizou a produção do curta-metragem ENSAIO SOBRE A PROPRIEDADE (em finalização), direção de Renan Rovida, e do longa-metragem ENSAIO CONTRA O PATRIARCADO (em finalização), direção de Maria Tereza Urias e Talita Araujo. É produtora do curta-metragem A MÁQUINA INFERNAL (2021), com direção de Francis Vogner dos Reis.

DESALAMBRAR FILMES | TEATRO, created in 2015 by Maria Tereza Urias and Renan Rovida, is an Brazilian independent production company which works with artistic, inventive and authorial projects. In partnership with Group Tela Suja Filmes, it produced PÃO E GENTE | BREAD AND PEOPLE (2020) and SEM RAIZ | ROOTLESS (2017), feature films both directed by Renan Rovida. It also produced the theatre play GRANIZO, O PÃO DE TRIGO ESCURECE O CÉU | HAIL, THE WHEAT BREAD DARKENS THE SKY (2018) directed by Renan Rovida in partnership with Novo Teatro em Ruínas. In partnership with Plateau Produções and Group Tela Suja Filmes, it’s co-producer of the project Tela Suja Filmes: Essays on patriarchy, private property and cinema, in which it produced the short-film ENSAIO SOBRE A PROPRIEDADE | ESSAY ON PROPERTY (on-going project), directed by Renan Rovida and the feature-film ENSAIO CONTRA O PATRIARCADO | ESSAY AGAINST THE PATRIARCHY (on-going project), directed by Maria Tereza Urias and Talita Araujo. Desalambrar Filmes was responsible for producing the short-film A MÁQUINA INFERNAL | THE INFERNAL MACHINE (2021), directed by Francis Vogner dos Reis.

DIREÇÃO

MARIA TEREZA URIAS (Brasil, 1983)

Artista e Produtora de Cinema e de Teatro. Sócia da DESALAMBRAR FILMES | TEATRO e integrante dos coletivos Tela Suja Filmes, Novo Teatro em Ruínas e Companhia Antropofágica. Atualmente cursa Licenciatura em Artes Visuais e formou-se em Produção Audiovisual na Academia Internacional de Cinema em São Paulo. No Cinema, realizou a Produção Executiva e Direção de Produção dos longas-metragens PÃO E GENTE (2020) e SEM RAIZ (2017); dos curtas-metragens COICE NO PEITO (2014) e ENTRE NÓS, DINHEIRO (2012), de Renan Rovida; CAPITAL/INTERIOR (2016), de Danilo Dilettoso e Talita Araujo, filmes selecionados e premiados em festivais nacionais e internacionais como Festival de Havana, Filmfest Hamburg, Festival Cinematográfico Internacional do Uruguai, Cineuropa Compostela, Festival Internacional de Cinema Independente de Cosquín, Mostra de Cinema de Tiradentes, dentre outros; e dos projeto AS VEIAS ABERTAS DO CINEMA LATINO AMERICANO (2015) e TELA SUJA FILMES: ENSAIOS SOBRE O PATRIARCADO, A PROPRIEDADE PRIVADA E O CINEMA (2018/2019), projetos contemplados pelo ProAC de Ações de Fomento ao Audiovisual, que reuniram ações de formação, produção e exibição cinematográficas. Realizou também a produção do CONTRAPLANO (2013), programa de debate sobre cinema brasileiro e latino-americano para o SESCTV, pela Plateau Produções; de 2015 a 2018 a Direção de Produção do NÚCLEO CRIATIVO CEICINE (Prodav/Ancine); a Direção de Produção da série FANTASMAS DA CASA PRÓPRIA (2016), dirigida por Adirley Queirós e Cássio Oliveira (Prodav/Ancine de TVs Públicas); a Co-Produção Executiva do curta-metragem CARNEIRO DE OURO, dirigido por Dácia Ibiapina (2017), premiado como Melhor Direção e Prêmio do Público no 50º Festival de Brasília. Em 2019 e 2020, trabalha como Produtora de Arte do longa-metragem VALENTINA, de Cássio Pereira, e como Coordenadora de Produção do 14º e 15º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo. Atualmente realiza sua primeira direção cinematográfica, o documentário ENSAIO CONTRA O PATRIARCADO, co-dirigido com Talita Araujo. No Teatro, realizou a Direção de Produção de inúmeros projetos contemplados pelo Fomento ao Teatro para Cidade de São Paulo e pelo ProAC, com grupos como Companhia Antropofágica, Novo Teatro em Ruínas, Teatro Popular União e Olho Vivo, Teatro de Narradores, Cia Teatro Documentário, produzindo projetos de pesquisa, criação e temporadas teatrais, seminários e debates, oficinas, publicações de livros e revistas, artes integradas e festivais de artes. Produziu como últimos trabalhos as peças EMERGÊNCYA (2018), direção de Thiago Reis Vasconcelos, GRANIZO (2018), direção de Renan Rovida, e BOM RETIRO MEU AMOR ÓPERA SAMBA (2018), direção de César Vieira e Rogério Tarifa. Ao longo desse período, realizou também temporadas nos principais teatros da cidade de São Paulo, como o Teatro Anchieta do SESC Consolação, com as estreias das peças DESTERRADOS - UR EX DES MACHINE (2015), direção de Thiago Reis Vasconcelos com a Companhia Antropofágica (Programação Especial para Exposição Máquina Tadeusz Kantor), e do infantil NO LIVRO TUDO TEM (2016), direção de Carlos Escher. Realizou também a produção das três edições da FEIRA ANTROPOFÁGICA DE OPINIÃO com a Companhia Antropofágica.

RENAN ROVIDA (Brasil, 1983)

​Cineasta, Ator e Roteirista. Integrante do Coletivo Tela Suja Filmes. Sócio da Desalambrar Filmes | Teatro. Dirigiu e roteirizou os curtas-metragens ENTRE NÓS, DINHEIRO (Selecionado para as Competitivas Oficiais do 34º Festival Internacional del Nuevo Cine Latino Americano de Havana e da 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes, entre outros) e COICE NO PEITO (Premiado com Menção Honrosa do Júri da Crítica na 17ª Mostra de Cinema de Tiradentes; Melhor Curtametragem de Ficção no 1º Festival de Cine de Caracas na Venezuela; Primeiro Lugar na Semana Paulistana do Curta Metragem em 2014; Prêmio Especial na 14ª Goiânia Mostra Curtas; Prêmio do Público no 3º Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba; Melhor Curta Metragem no Cine Fest Gato Preto 2015) e os longas-metragens SEM RAIZ (Selecionado para Mostra Aurora da 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes; Competiviva de Novos Realizadores no 36º Festival do Uruguai, e outros) e PÃO E GENTE (pré-estreia mundial na Mostra Aurora da 23ª Mostra de Cinema de Tiradentes e internacional no Filmfest Hamburg 2020 na Alemanha). Produziu o projeto AS VEIAS ABERTAS DO CINEMA LATINO AMERICANO, contemplado pelo ProAC de Ações de Fomento ao Audiovisual em 2014, no qual realizou ações de formação, produção e exibição, tendo contado com os convidados Adirley Queirós e Andrea Tonacci, e estudo sobre o Nuevo Cine Latino Americano. Em teatro, trabalhou como ator na Companhia do Latão por cinco anos e participou das peças PATRÃO CORDIAL (Prêmio Questão de Crítica de Melhor Elenco), ÓPERA DOS VIVOS e COMÉDIA DO TRABALHO. Seu mais recente trabalho como ator é a peça FOME.DOC, realizada com a Kiwi Companhia de Teatro. Como diretor participou da montagem teatral GRANIZO, trabalho híbrido de teatro e cinema, inspirado na obra do dramaturgo alemão Bertolt Brecht, com o Novo Teatro em Ruínas. Como professor de atuação, ministrou oficina no 2º Encuentro La Possible Actualidad de Brecht em Buenos Aires – Argentina, e também ministrou oficina de atuação na 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes e Mostra Tiradentes SP – 2018. Atuou nos filmes SEM RAIZ, ARÁBIA, de Affonso Uchôa e João Dumans (Melhor Filme no 50º Festival de Brasília), JOVENS INFELIZES, de Thiago B. Mendonça (Melhor Filme na 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes), NEW LIFE SA, de André Carvalheira (estreia na Competitiva Oficial do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro) SONÂMBULOS, de Tiago Mata Machado (estreia na Competitiva Paralela do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro), BAIXO CENTRO, de Ewerton Bellico e Samuel Marotta (Melhor Filme na 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes), RIOCORRENTE, de Paulo Sacramento, entre outros. Lecionou na Academia Internacional de Cinema (AIC) a disciplina de Direção de Atores para o curso profissionalizante técnico em direção cinematográfica de 2016 a 2018 e colabora periodicamente com o curso livre de Atuação para Cinema e TV. Atualmente trabalha na captação de recursos para produção de dois novos longas-metragens, SUA CASA, MINHA VIDA, roteiro desenvolvido no Núcleo Criativo Ceicine, contemplado no Prodav 03/2014, e A VINGANÇA DE KUNHÃETÉ, e na pré-produção do longa-metragem IDADE DA PEDRA.