AS VEIAS ABERTAS DO CINEMA LATINO AMERICANO

Não assistimos nessas terras à infância selvagem do capitalismo, mas sim a sua cruel decrepitude. O subdesenvolvimento não é uma etapa do desenvolvimento. É sua consequência. O subdesenvolvimento da América Latina provêm do desenvolvimento estrangeiro e continua alimentando-o. Impotente por sua função de servidão internacional, moribundo desde que nasceu, o sistema tem pés de barro. Postula-se ele mesmo como destino e quisera confundir-se com a eternidade. Toda a memória é subversiva, porque é diferente, como também todo projeto de futuro.

 

Eduardo Galeano em As Veias Abertas da América Latina

 

 

O COLETIVO TELA SUJA FILMES e a FILMES DE ABRIL realizaram no ano de 2015 o Projeto AS VEIAS ABERTAS DO CINEMA LATINO AMERICANO, contemplado pelo ProAC de Ações de Fomento ao Audiovisual em 2014, da Secretaria da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo. O projeto que representou um estudo sobre o cinema político latino-americano produzido desde os anos 60 até os dias de hoje, na busca por aprofundar nosso conhecimento sobre o Nuevo Cine Latino Americano outros movimentos como o Cinema Marginal, e pensar suas possíveis filiações e atualidades, contou com ações de Formação, Produção e Exibição. As ações abertas ao público realizadas no projeto foram:

 

EIXO DE FORMAÇÃO

 

Debate “DIREÇÃO ANTICOLONIALISTA - Estética de Resistência, Luta e Poesia – da perspectiva da Direção Cinematográfica” – com Adirley Queirós e Andrea Tonacci;

 

Debate “ROTEIRO ANTICOLONIALISTA - Estética de Resistência, Luta e Poesia – da perspectiva do roteiro cinematográfico” – com Francis Vogner dos Reis e Thiago Brandimanrte Mendonça.

EIXO DE EXIBIÇÃO

 

O CINECLUBE AS VEIAS ABERTAS DO CINEMA LATINO AMERICANO foi realizado em quatro cidades do Estado de São Paulo: SÃO PAULO, SÃO BERNARDO DO CAMPO, SUMARÉ e TAUBATÉ. E teve exibições de MAIO a NOVEMBRO de 2015. A mostra itinerante visou aprofundar o contato e a reflexão conjunta ao público sobre o cinema político latino-americano produzido a partir de meados dos anos 60 até os dias de hoje. Neste ciclo, foi feito o recorte com filmes de ARGENTINA, BRASIL e CUBA. O filme do mês foi exibido nas quatro cidades, seguido de debate junto ao público, o que trouxe um panorama bastante importante sobre a reflexão proposta pelo cineclube.

Os filmes exibidos foram:

SERRAS DA DESORDEM

Andrea Tonacci

 

BRANCO SAI PRETO FICA

Adirley Queirós

 

SERÉ MILLONES

Fernando Krichmar, Omar Neri e Monica Simoncini 

 

A$SUNTINA  DAS AMÉRIKAS

Luiz Rosemberg Filho

 

LA PELÍCULA DE ANA

Daniel Díaz Torres

MEMORIAS DEL SUBDESARROLLO

Tomás Gutiérrez Alea

 

HASTA CIERTO PUNTO

Tomás Gutiérrez Alea

Os locais de exibição foram:

SÃO PAULO

Cineclube Latino-Americano Juan Carlos Arch

Sala de Cinema no Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro

Memorial da América Latina

Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664

Barra Funda - São Paulo - SP

SÃO BERNARDO DO CAMPO

Cineclube da Biblioteca de Artes Inva Aceto Maranesi

Pinacoteca de São Bernardo do Campo

Rua Kara, 105 - Jardim do Mar - São Bernardo do Campo - SP

SUMARÉ

Fábrica de Cultura Flaskô

Rua Marcos Dutra Pereira, 300

Parque Bandeirantes - Sumaré - SP

TAUBATÉ

Centro Cultural Municipal Toninho Mendes

Sala Mazzaropi

Praça Coronel Vitoriano, 1- Centro - Taubaté - SP

2015 por DESALAMBRAR FILMES | TEATRO. Todos os direitos reservados.