1/1

FORTUNA DOS MORTOS

DIREÇÃO DE BRUNO MELLO CASTANHO E DANILO J. SANTOS

Longa-metragem

Em fase de captação de recursos para desenvolvimento de projeto

SINOPSE

Brasil, ano de 2103. O Rio Grande do Sul é destruído por uma nuvem de Gafanhotos, Alagoas está em guerra civil, um desastre químico transformou o Rio de Janeiro numa nova Chernobyl. Um a um todos os estados do país foram atingidos por diferentes tipos de tragédias ambientais e sociais, com a misteriosa exceção do Estado de São Paulo, que vive seu mais próspero momento econômico, aproveitando a miséria nacional para criar linhas de crédito e vender itens de necessidade básica aos Estados atingidos.   

 

Antônio, empresário paulista bem-sucedido, mas de origem pobre, enxerga uma oportunidade econômica em meio a tragédia e se torna diretor de uma empresa que transporta, recruta e emprega os cidadãos dos estados afetados. Frequentador quase diário de um bar, próximo ao bairro onde foi criado, nas novas periferias de São Paulo - ainda mais miseráveis e perigosas -, Antônio pode ver a miséria a que estão sujeitos inclusive aqueles empregados por sua empresa. Nesse mesmo bar, ele reencontra amigos de infância e, ao mesmo tempo, eclodem na cidade diversos atentados contra grandes acionistas e contra a alta cúpula de sua empresa. Acreditando que seus amigos podem estar envolvidos nos ataques, Antônio busca reconstruir o vínculo com eles na tentativa de evitar o pior.

DIRETORES

BRUNO MELLO CASTANHO

Bruno Mello Castanho (Brasil, 1984) é diretor, roteirista e montador. Graduado em jornalismo, especializou-se em cinema na Academia Internacional de Cinema e cursou dramaturgia na SP Escola de Teatro. Tem sua primeira experiência com roteiro e direção com o documentário “Meu Nome é Yuba” (2008). Dirigiu e escreveu o curta-metragem “Cerol” (2009), selecionado para o 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; e “Quinteto de Cordas” (2010). Ainda no ano de 2010, colaborou no roteiro do longa “Jogo das Decapitações”, de Sérgio Bianchi. Em 2013, fez parte do Núcleo Anatol Rosenfeld, da Cia do Latão, nas áreas de dramaturgia e direção. Colaborou no roteiro do longa “Jovens Infelizes” (2016), de Thiago B. Mendonça e montou o curta “Entremundo” (2015), do mesmo diretor. Em 2016, dirigiu e escreveu o premiado curta-metragem “Ferroada”, sobre o escritor marginal Tico, selecionado para o OFF Cinema Film Festival, na Polônia, entre outros festivais. No ano seguinte, colabora com o roteiro do curta-metragem “La Flaca” (de Thiago Zanato e Adriana Barbosa), selecionado para o 32th Festival Internacional de Friburgo na Suíça.  Em 2018, estreia, no Festival de Cinema de Tiradentes, seu primeiro longa-metragem como roteirista e diretor, “Madrigal para um Poeta Vivo”, ganhador de cinco prêmios no Festival de Cinema de Triunfo 2019. Finaliza, atualmente, um novo curta-metragem, “Álbum de Retratos”, dirigido junto com Alex Rocha; e o longa-metragem “Ode ao Natal”, um documentário sobre o natal paulistano, dirigido ao lado de Danilo J. Santos. Colaborou também como assistente de roteiro no filme em produção “Grande Sertão Quebradas”, de Adirley Queirós. Atualmente cursa um mestrado na área de cinema na Universidade de Roma La Sapienza.

DANILO J. SANTOS

 

Danilo J. Santos (Brasil, 1987), é diretor de cinema, roteirista e montador, residente na zona sul da cidade São Paulo, no bairro Campo Limpo. Possui experiência em cinema, tv e publicidade, com mais de 10 anos de experiência, passando por diversas funções - assistente de direção, assistente montagem, operação de câmera, finalizador, montador e diretor - que possibilitaram sua formação como montador, possuindo um grande número de trabalhos que variam entre filmes publicitários, web séries, documentários e curtas e longas-metragens de ficção; e como diretor, possui trabalhos como "Memórias de Um Primeiro de Maio", curta-metragem que estreou na Mostra de Tiradentes de cinema, em 2017, "Música em(n) cena", websérie da Companhia antropofágica de teatro, criada em 2018, "Antes que o amor se vá ", de 2007, seu primeiro experimento de curta duração feito em 16mm, além de diversos outros experimentos audiovisuais para espetáculos teatrais da companhia antropofágica de teatro, filmes-ensaio, colagens, videoclipes e trabalhos publicitários.

 

Danilo também é um filósofo, psicanalista e trabalhou muitos anos como ator. Ingressou na Universidade Federal de São Paulo em 2010, onde formou-se bacharel e licenciado em filosofia em 2014, e mestrado em 2018. Estudou na Escola de Psicanálise de São Paulo até o ano de 2018, e na Academia Internacional de Cinema até 2011. É membro da Companhia Antropofágica, há mais de 12 anos, um grupo de teatro, baseado e nascido em São Paulo.

FICHA TÉCNICA

Direção e Roteiro BRUNO MELLO CASTANHO | DANILO J. SANTOS
Produção MARIA TEREZA URIAS | RENAN ROVIDA